24/06/2014

Predestinação,certo ou errado?



Predestinação,certo ou errado?
0

Salmos 119:105.
"Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho."
Se não ler tudo decerto não irá compreender.
A minha intenção não é criticar, ou levar a pensar que sou o melhor, mas declarar a verdade.
Vamos por partes para que possa compreender melhor.
Vamos agora também falar um pouco de história.
Em muitos países a Reforma Protestante foi combatida de forma bastante violenta.
Milhares de protestantes foram presos pela Inquisição (Tribunal do Santo Ofício) em toda a Europa, com muitos deles sendo condenados à morte.
E, na França, tradicionalmente um reino aliado ao Vaticano, não foi diferente.
Neste país, os protestantes foram perseguidos e presos.
Em consequência a isso, muitos se refugiavam na vizinha Suíça.
João Calvino (1509-1564) foi um desses tantos protestantes franceses que fugiram para o território suíço.
Na Suíça, Calvino entrou em contacto com as ideias humanistas e, principalmente, teve acesso à literatura grega antiga.

0

Esse contacto com a literatura clássica e humanista foi muito importante para aquilo que Calvino iria desenvolver em sua teologia.
Calvino, apesar de ter mantido quase todos os princípios formulados por Martinho Lutero, desenvolveu uma teologia própria, mas que tinha uma diferença muito importante: a Doutrina da Predestinação.
Nesta doutrina, influenciada na crença grega no destino, Calvino afirmava que Deus, o único com conhecimento sobre o futuro, já sabia, desde sempre, quem eram as pessoas que seriam salvas por Ele, assim, como também sabia quem não seria salvo.
De acordo com Calvino, a fé não era o caminho para a salvação, para ele, a fé era o sinal de que o fiel estava predestinado à salvação.
Com isso, o calvinismo se afastava daquilo que Lutero havia defendido, ou seja, que a salvação somente era alcançada por meio da fé em Jesus Cristo.
Mesmo contrariando Lutero, a Doutrina da Predestinação tornou-se muito popular na Suíça.
Mas quando as ideias de Calvino chegaram às pessoas comuns, uma dúvida foi gerada:
Como posso saber se sou ou não salvo?
A resposta de Calvino era bastante simples.
Segundo ele, a garantia de que alguém havia sido predestinado por Deus à salvação estava em seu sucesso pessoal, ou seja, uma pessoa próspera e bem sucedida (profissão, saúde, família, etc.) demonstrava o favor de Deus para com ela.
Portanto, o próspero tinha a garantia de sua salvação, pois onde a planta de seus pés pisasse iria prosperar.
Mas, o contrário também era verdadeiro.
Pois, aquele que não prosperasse dava demonstrações de que não estava predestinado à salvação.
O reflexo maior desta doutrina foi que, ao contrário dos católicos, os calvinistas passavam a defender a riqueza pessoal.
Assim, a riqueza e o lucro deixavam de ser pecado para se tornarem em sinais do favor divino e também, numa forma de glorificar a Deus.
Como a Igreja Católica condenava os lucros e a riqueza pessoal, os burgueses adotaram, quase que integralmente, a nova fé.
Mas ao contrário de outras vertentes protestantes, o calvinismo não se desenvolveu em uma igreja específica, mas como doutrina que seria aceite em algumas igrejas protestantes já existentes.
Assim, a doutrina calvinista obteve uma grande aceitação na Suíça (onde surgiu), de lá se espalhando por toda a Europa, especialmente, na Escócia (onde fizeram muitos adeptos entre os presbiterianos), na Inglaterra (puritanos, quakers e outros), na Holanda (reformados) e na França (onde ficaram conhecidos pejorativamente como huguenotes).
Por seguinte:
A Reforma Protestante de Martinho Lutero, As Doutrinas Luteranas, João Calvino e o Calvinismo, Henrique VIII e a Reforma na Inglaterra, A Contra Reforma ou a Reforma Católica , Os Protestantes após a Reforma.
O conceito de Predestinação nasceu no século XVI, parte integrante do Calvinismo, doutrina criada por João Calvino.
Este movimento disseminou-se pela Holanda, Suécia e Escócia.
Seu pupilo escocês, João Knox, edificou a Igreja Presbiteriana, a qual se encontra actualmente fragmentada em nove igrejas, que divergem entre si a respeito da Predestinação.
Esta ideia teológica e também filosófica aborda a interacção entre o Criador e a Humanidade.
Segundo esta concepção, Deus já determinou anteriormente tudo que se desenrolará entre os homens no tempo e no espaço.
Esta teoria sagrada é muito presente nas religiões monoteístas, mas no Cristianismo ela encontrou sua morada por excelência, na crença do Poder Divino de tudo saber, ou seja, Ele tem ciência de tudo que o Homem realizará em sua jornada espiritual, assim, sabe com antecedência quem está salvo e quem está condenado.
Portanto, o Criador já escolheu os seus eleitos.
Este tema foi amplamente debatido e desenvolvido por Santo Agostinho e João Calvino.
Mas aí, as pessoas se questionam, onde fica o livre-arbítrio?
Segundo os que crêem nesta doutrina, a Bíblia ratifica a nossa liberdade de escolha, sendo necessário apenas acreditar em Jesus e então ser finalmente salvo – esta é a única opção que conduz à salvação.
Assim funciona a predestinação, atraindo o Homem para Deus e assim, para a libertação, só porque Deus sabe por antecipação quem vai escolher ficar ao seu lado.

0

Os cristãos divergem em um ou outro ponto, mas no geral vêem a Predestinação como o plano de Deus para a Humanidade, que se concretiza quando Ele escolhe seus eleitos.
Já do ponto de vista humano, todo indivíduo tem o direito de concordar com o Criador ou de repeli-lo.
Entre estas visões distintas, as várias religiões dão maior destaque a um ou a outro ângulo desta doutrina.
Esta teoria também está ligada a grupos materialistas, espiritualistas, politeístas, ao carma, à ideia de destino, a diversas crenças filosóficas e a variadas religiões, sob a convicção de que, se o futuro já está praticamente programado por antecedência, então apenas uma pequena parcela de acontecimentos foge a este padrão, enquanto outros acreditam na preponderância do acaso e da sorte.
A palavra "predestinação" vem do grego "proorizo", que carrega o significado de "anteriormente determinado".
Significa, então, que Deus decidiu alguma coisa antes dela acontecer, ou seja, a glorificação de seus filhos.
Segundo os seguidores desta teoria, nenhuma pessoa merece ser salva, portanto ninguém pode se queixar por não receber a salvação, e se Deus em sua Omnipotência Divina decide ser compassivo com alguns de seus filhos e lhes conceder a glória de estar ao seu lado, os que não foram eleitos não têm motivos para se aborrecerem.
De acordo com um pensamento mais racionalista, como o da Doutrina Espírita, esta crença não é compatível com os mecanismos da Razão, nem mesmo com a Bíblia e com os desígnios divinos, pois qual seria o papel da Religião, que tem como função religar o Homem ao Criador, se alguns já estivessem previamente salvos e outros condenados?
Se o Messias veio para salvar a Humanidade, como se justifica a existência de um grupo de eleitos?
Além disso, como a Misericórdia de Deus seria infinita se rejeitasse uma única criatura sua?
Para esta visão de mundo, a responsabilidade pelo destino da Humanidade está em grande parte nas mãos do Homem, através do exercício de seu livre-arbítrio.

Existe Base Bíblica para a Predestinação?

0

Antes de começarmos a análise, convém que vejamos algumas definições:

O que é livre arbítrio?
Livre arbítrio é um princípio bíblico que declara que o homem é livre para tomar decisões, para decidir a questão do seu destino.

O que é predestinação?

Predestinação pode ser definida no sentido geral e no sentido bíblico.
No consenso popular, seria crer que Deus traçou um plano para nossa vida e devemos segui-lo sem o direito da escolha.
Em outras palavras - somos autómatos, desempenhando um papel previamente estabelecido por Deus.
No sentido bíblico, a predestinação seria o decreto de Deus que possibilita a salvação a todos os que aceitarem a Cristo.
Calvino, ampliando ideias já antes defendidas por Santo Agostinho, afirmou que desde a antiguidade Deus estabeleceu dois decretos:
Um seleccionando um grupo para a salvação ou vida eterna, e um outro decreto seleccionando aqueles que serão destruídos.
O próprio Calvino qualificou-o como "o terrível decreto de Deus".
Estaria este ensino em harmonia com as doutrinas bíblicas?
De modo nenhum!
Porque a dupla predestinação ensina que se não fomos arbitrariamente escolhidos para a salvação, não há esperança, ainda que busquemos ardentemente esta graça!
Em sua apostila "Predestinação Bíblica", Hans K. La Rondelle nos diz:
A doutrina da predestinação de uns para o bem e a felicidade e de outros para o mal e infelicidade, parece ter nascido da necessidade de alguns teólogos de conciliarem a misericórdia com a justiça Divina.
Deus é justo com os que predestina ao mal e misericordioso com os que predestina a salvação.
As passagens de:
Isaías 1:27.
"Sião será remida com juízo, e os que voltam para ela com justiça."

0

e
Romanos.3:25.
"Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;"
Negam que a misericórdia e a justiça sejam atributos divinos distintos;
Deus não é metade misericórdia e metade justiça, mas inteiramente misericórdia e inteiramente justiça.
Vejamos agora as passagens e fatos bíblicos usados pelos defensores da predestinação calvinista para a perdição:
Romanos. 8:29 e 30.
 "Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja primogénito entre muitos irmãos.
"E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou."

Efésios. 1:5,11
Dentre os fatos citados, estes se destacam:
O endurecimento do coração de Faraó;
Judas predestinado a trair Jesus;
A declaração de:
Romanos.8:29 e 30.Efésios.1:5,11.
(alguns manuscritos o trazem também em.
Atos 4:28
e
I Corintíos. 2:7
A palavra é formada de "pró", que significa "antes" e o verbo "horizo", que significa "definir, limitar".
Este verbo é usado na palavra horizonte, como círculo limitante do campo da nossa observação.
"Proorizo" pode ser traduzido por demarcar de antemão, ser determinado anteriormente.
Três úteis princípios hermenêuticos nos ajudarão a compreender o problema da predestinação:
É a regra áurea da interpretação, chamada por Orígenes de "Analogia da Fé".
O texto deve ser interpretado através do conjunto das Escrituras, e nunca através de passagens isoladas.
Não podemos basear uma doutrina numa só passagem.
Para compreender bem uma passagem é preciso consultar as passagens paralelas.
São aquelas que tratam do mesmo assunto.
Observar bem o contexto.
Analisar o que vem antes e depois, para se saber do que o autor está tratando.
Vamos ilustrar com exemplos bíblicos estes três princípios, para esclarecer o assunto em pauta:
1 - Analisando
Provérbios. 16:4.
"O Senhor fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal."
Porém, notemos o seguinte:
Eclesiastes. 7:29.
"...que Deus fez ao homem recto, porém eles buscaram muitas astúcias"
Deus de modo algum é o originador do mal, mas os que escolhem a impiedade por sua própria vontade, Deus os destruirá.
2 - Este princípio pode ser ilustrado com
Romanos. 9:18.
"Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer.".
Coloquemos agora ao lado as seguintes passagens:
Salmos.18:25,26.
Vrs.25-"Com o benigno te mostrarás benigno; e com o homem sincero te mostrarás sincero;"
Vrs.26-"Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás indomável."
(outras traduções dizem "contrário")
Isaías. 55:7.
"Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus,porque grandioso é em perdoar."
Fica claro pelas passagens acima, com quem Deus quer ser misericordioso e com quem Ele é "inflexível".
Estas passagens nos mostram que com os benignos Ele é benigno, mas que é inflexível com os perversos e impenitentes.
Êxodo 4:21.
"...mas eu lhe endurecerei o coração, para que não deixe ir o povo."
Êxodo 7:3.
"Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó, e multiplicarei na terra do Egipto os meus sinais e as minhas maravilhas."

0

Afirma que Deus endureceu o coração de Faraó.
O que temos aqui é um idiomatismo hebraico, ou seja, o verbo usado não é para expressar a execução de algo, mas a permissão para fazer isso.
Por exemplo:
Êxodo. 5:22.diz:
"Então, tornando-se Moisés ao Senhor, disse: Senhor! por que fizeste mal a este povo? por que me enviaste?"
(isto é, por que toleraste que fosse afligido?).
Veja também nesta lista sobre
Como se não bastasse isso, temos também as seguintes passagens que mostram que foi Faraó que endureceu o seu próprio coração:
Êxodo 7:13
"Porém o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha falado."
Êxodo 7:22.
"Porém os magos do Egipto também fizeram o mesmo com os seus encantamentos; de modo que o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito."
Êxodo 8:32.
"Mas endureceu Faraó ainda esta vez seu coração, e não deixou ir o povo."
3 - O contexto das passagens de Romanos e Efésios, que falam da predestinação, é claro em nos mostrar que todos nós fomos predestinados para a salvação.
Paulo nos diz que Deus através de Cristo nos predestinou para que fôssemos Seus filhos por adopção.
Deus tem um propósito para este mundo e para cada pessoa individualmente.
Este propósito é que todos cheguem ao conhecimento da verdade e se salvem.
II Pedro 3:9.
"O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia;mas é longânimo para connosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se."
Sua declaração nos leva a afirmar que ninguém foi designado para a perdição.
Também é afirmado que Judas estava predestinado a trair Jesus, por isso ele não era livre para escolher.
A bíblia não diz que estava predestinado que Judas o trairia.
Embora a morte de Cristo fosse pré-ordenada
Apocalípse.13:8.
"E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo."
Pilatos e Judas não precisavam ter sido instrumentos dessa morte, eles eram livres para aceitá-lo ou colaborarem na sua condenação.
Outra passagem muito citada pelos calvinistas para a dupla predestinação é
Romanos. 9:13.
"Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú".
Amei a Jacó, porém me aborreci de Esaú.
A palavra predestinação não aparece na bíblia, mas o verbo predestinar, em grego "proorizo", é empregado quatro vezes, isto é, em:
Afirmam que antes do nascimento, um é predestinado para a salvação e outro para a condenação.
Esta é uma conclusão simplista e anti-bíblica, porque:
Esta citação de Paulo foi tirada de
Malaquias 1:2-3.
Vrs 2-"Eu vos tenho amado, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Em que nos tens amado? Não era Esaú irmão de Jacó? disse o Senhor; todavia amei a Jacó."
Vrs.3-"E odiei a Esaú; e fiz dos seus montes uma desolação, e dei a sua herança aos chacais do deserto."
Isto foi escrita mais ou menos 1000 anos depois que eles viveram (Esaú e Jacó), ou seja, Malaquias não escreveu uma profecia, mas apenas relatou um fato histórico.
Malaquias não está falando de Esaú e Jacó como duas pessoas, mas de dois povos distintos: israelitas e edômitas.
Jacó está representando o povo do concerto e Esaú os incrédulos e inimigos de Deus.
O aborrecimento de Deus por Esaú - ou melhor pelos seus descendentes - foi após um milénio de paciência.
Paulo declara que Jacó foi escolhido para uma função, para representar um papel de destaque na história do povo de Deus.
Romanos.9:11,12.

0

Vrs 11-"Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama),"
Vrs 12-"Foi-lhe dito a ela: O maior servirá ao menor."
Estes versos contradizem frontalmente a dupla predestinação de Calvino, compreenda:
Mateus 25: 34,41.
Vrs 34-"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;"
Vrs 41-"Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim,malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos."
Se houvesse a dupla predestinação, a afirmação de Cristo seria:
"preparado para vós desde a fundação do mundo".
Mas o que lemos é que o fogo foi preparado para o diabo e seus anjos, e não para o homem!
Outra declaração importante de Paulo, que precisa ser bem compreendida é a de:
Romanos. 9:22,23.
Vrs 22-"E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição
Vrs 23-"Para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou."
O verso 22 fala dos vasos da ira preparados para a perdição, mas Deus os suportou com muita longanimidade.
No verso 23 há o relato dos vasos da glória, preparados previamente.
A bíblia nos prova de maneira inequívoca que os vasos da ira não foram feitos por Deus para a destruição.
Basta ler as passagens paralelas de:
Romanos 2:4 e 5.
Vrs 4-"Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?"
Vrs 5-"Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus;"
Aqui Paulo nos fala que Deus trabalha para a salvação do homem, mas o próprio homem endurece o seu coração para o dia de ira:
Se existe alguma predestinação bíblica, sem dúvida seria esta:
Em Adão todos são predestinados para a perdição.
I Corintios. 15:22.
"Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo."
Em Cristo todos são predestinados para a salvação.
João 1:12.
"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome."
Algumas provas bíblicas contra a predestinação calvinista.
Dentre as várias citações bíblicas que contradizem o erróneo ensino de Deus haver predestinado pessoas para a perdição, os pontos seguintes devem ser destacados, por sua objectividade e clareza:

0

O relato de Paulo não deixa dúvidas.

É impossível harmonizar - Deus não deseja que ninguém se perca - com a ideia de que Ele escolhe pessoas para serem destruídas.
Apocalipse. 22:17.
"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida."
Todos têm a oportunidade, graças a Deus!
Aqui entra em cena a vontade pessoal.
Querer é um verbo que indica vontade, portanto a pessoa escolhe; não aparece imposição.
João 3:16.
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."
Deus decretou que todos os que aceitarem a Cristo se salvem.
Não decretou que todos devem aceitar a salvação que Ele oferece.
Deus não força a vontade de ninguém.
Ezequiel 18:32.
"Porque não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor Deus; convertei-vos, pois, e vivei."
Deus tem prazer na Salvação, nunca na perdição.
Se não respeitasse a vontade dos homens, Ele salvaria a todos.
Mateus 7:21.
"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus."
Muitos não serão salvos, não porque estão "predestinados", mas porque não aceitam as condições da salvação.
Jeremias 21:8.
"E a este povo dirás: Assim diz o Senhor: Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte."
Para que dois caminhos, se a sorte de cada um já foi traçada antes?
Apocalipse. 2:10.
"Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida."
Notem que a salvação também depende de nós, da nossa perseverança.
Atos 17:30
"Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam."
Notemos o convite para o arrependimento é para todos.
Paulo declara em:
Tito 2:11.
"Porque a graça salvadora de Deus se há manifestado a todos os homens."
Mais uma vez, a graça de Deus é para TODOS!
I Tessalonicenses. 5:9
"Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo."
Esta declaração, por si só, já faria desmoronar a teoria calvinista.
Também não poderíamos terminar este estudo, sem antes analisarmos a Eleição e Vocação.
Vocação é o chamado
Eleição é a escolha
A Bíblia esta repleta de exemplos, de que a eleição, tanto de um povo, como de indivíduos é para o serviço, para o desempenho de um papel no plano da salvação, para ser bênção aos outros e não simplesmente um privilégio.
Ver:
Genisês. 12:2.
"E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção."
Israel foi eleito como um povo para especial serviço.
Deuteronómios.7:6-8.
Deuteronómios. 4:37.
"E, porquanto amou teus pais, e escolheu a sua descendência depois deles, te tirou do Egito diante de si, com a sua grande força."
Alguns exemplos de pessoas eleitas para a execução de um trabalho especial:
Moisés.
Êxodo 3.
Os Sacerdotes.
Deuteronômios. 18:5.
"Porque o Senhor teu Deus o escolheu de todas as tuas tribos, para que assista e sirva no nome do Senhor, ele e seus filhos, todos os dias."
Os reis.
I Samuel.10:24.
"E, chegando eles ao outeiro, eis que um grupo de profetas lhes saiu ao encontro; e o Espírito de Deus se apoderou dele, e profetizou no meio deles."
Os profetas.
Jeremias.1:5.
"Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta."
Os apóstolos.
João 6:70.
"Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? e um de vós é um diabo."
Algumas verdades que não podem ser ignoradas quanto à eleição:
A eleição de Deus inclui todo o mundo.
II Corintíos 5:14-15. I Timóteo 2:4,6.
Vrs.4-"Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade."
Vrs.6-"O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo."
Deus não elegeu ou predestinou apenas aqueles que eram dignos de Sua graça.
Mas elegeu o indigno, ele elegeu o iníquo, ele elegeu os Seus inimigos.
Romanos. 5:6.
"Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios."
Romanos. 5:10.
"Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida."
Deus nos escolhe para o serviço na base do carácter e não em bases pessoais.
Nós nos elegemos, quando pelo poder de Cristo atingimos o padrão que ele estabeleceu.
A escolha de uma pessoa, não significa a rejeição de outras.
A escolha de Israel não significou a rejeição dos gentios.
Ao escolher Israel Deus desejava que por seu intermédio outras nações pudessem ser participantes de sua graça.
Assim, há um duplo propósito na eleição:
Para a salvação dos eleitos -
Romanos 11:7-11. II Tessalonicenses. 2:13.
"Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade;"
Para a glória de Deus.
Efésios.1:6,12,14.

Vamos analisar o Arminianismo.

No século décimo sétimo, James Arminius, foi o primeiro formalmente a mencionar esta matéria e modificar o calvinismo, que de acordo para com ele.
Deus não poderia ser considerado o autor do pecado, nem o homem mas uma automatização na mão de Deus.
Ele apresentou a perspectiva que a soberania de Deus em fato elegeu o homem a ser salvo.
No entanto, ele pensou que a eleição seria baseado na omnisciência de Deus de que poderia por fé aceitar a Cristo e quem poderia rejeitá-lo.
Todos os homens, pensou ele, poderia ser salvo na condição de exercitarem sua vontade e crerem no Senhor Jesus Cristo.
Ele rejeitou a ideia de que a expiação dos pecados for a limitada a apenas a poucos e que Deus for a o autor do pecado.
Arminius insistiu que Cristo morreu por todos os homens e salva a todos os que O aceita por fé.
Arminius, no entanto foi fraco, na área bíblica da doutrina
"Segurança Eterna do Crente".
Segurança eterna significa, que uma vez salvo, o homem não pode perder a salvação.
Arminius pensava que as escrituras não era clara e que a Bíblia parecia ensinar aos crentes que a salvação poderia ser perdida.
Tal como os seguidores que seguiam aos ensinos de John Calvin ao extremo, muitos que sucederam James Arminius não deixaram seus ensinos, mas levaram a mais o ensino de que o homem teria a salvação em parte.
Os Arminianos, tal como ficaram conhecidos, pensavam que o homem participavam com Deus na salvação.
Basicamente, sua crença poderia ser explicada desta maneira;
Cristo deu a entrada do pagamento em nossa salvação, como sempre uma vez que nós a recebemos, para mantê-la devemos manter os pagamentos até ser completamente cheio de fé ou de boas obras.
Este erro sério, em fato, faz a salvação parcialmente em obras, que a Bíblia claramente condena.
Tal homem como Charles Spurgeon, um dos maiores pregadores em tempos recentes pregava sobre a matéria alternadamente tanto salvação pela graça como a responsabilidade do homem a corresponder com a oferta de Deus para redenção.
Ele poderia pregar eleição, que Salvação era totalmente de Deus em um domingo e no próximo domingo pregando que o homem deve exercitar sua vontade em crer no Senhor Jesus Cristo.
Outros, como o escritor juntamente com Hiper-Calvinists persuadiram severamente o ensino de que Deus teria predestinado alguns a ser salvo e igualmente predestinados outros a condenação para o inferno.
Os predestinados a salvação, absolutamente seria salvos e não haveria nenhum meio a prevenir.
Em outra mão, o pobre infeliz alma, que teria sido escolhida por Deus a permanecer perdida, não poderia receber a Cristo e morreria e iria para o inferno.
John MacArthur, um Alto-Calvinista e muito popular pregador de rádio concluem que a disputa sobre a matéria é porque o homem não quer aceitar a soberania de Deus, por isto ofende o orgulho do homem e também ofende o seu senso de igualdade.
Arthur Pink, chamando aos que ensinam a livre vontade do homem,
" merit-mongers".
Monges dos méritos, ele afirma que alguns rejeitam a soberania de Deus em Salvação:
"porque ele é homem caído e quer assumir alguma responsabilidade mesmo que isto seja muito insignificante por ter crido.
Ele desesperadamente quer algum crédito por ter criado o direito de escolha.
MacArthur concluem que o homem é impulsionado pela Doutrina de Eleição porque isto parece injusto que Deus escolheria alguns para salvar, e outros não.
Diz ele,
"..a razão que o homem quer de toda maneira  ter parte em sua salvação é porque ele que exercitar seu orgulho."
No entanto, há muitos que não se incluem igualmente com as categorias supostas por MacArthur e que rejeitam os ensinos calvinistas.

Há alguma explicação Bíblica para a eleição segundo o Calvinismo?

A Bíblia afirma que Cristo morreu por todo homem.
Nota-se que os versos seguintes claramente relata:
IJoão. 2:2.
"E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo."
Marcos.16:15.
"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura."
Romanos.5:18.
"Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida."
Hebreus.2:9.
"Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos."
Os Calvinistas deveriam reprovar tais ensinos e parar de ensinar que a morte de Cristo foi limitada a apenas a certas pessoas que poderão ser salvos.
Devem concluir que quando pregam o Evangelho e apresentam salvação aos seus ouvintes estão por certo "batendo a língua no queixo".
Devem admitir que o que estão oferecendo não pode ser concebido.
Assim o Evangelho que se tornou "Boas Novas" é apenas uma selecção de poucos.
Os outros estarão a desperdiçar tempo em ouvir sobre a morte e a ressurreição de Cristo, pois eles não poderiam receber a Cristo.
Jesus disse que os habitantes de Sodoma e Gomorra receberiam menos juízo no dia do julgamento do que o povo de Israel.

0

Ele alegou isso pela razão de eles o terem ouvido, e rejeitaram o Messias.
Mateus 10:15.
"Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade."
Claramente porque ouviram e rejeitaram a verdade.
Eles seriam mais duramente castigados do que aqueles que não tiveram o privilegio de ouvirem a verdade.
Se as cidades de Israel não poderiam corresponder com a verdade após ouvir a Jesus por estarem predestinadas ao inferno, em que base poderia Deus fazer o julgamento mais severo do que aqueles que não o ouviram.?
Não há dúvida que Deus os têm em conta por seus pecados por rejeitarem a verdade e que eles poderiam ter ouvido e arrependido.
A grande comissão para ir por todo o mundo e pregar o Evangelho perderia sua intenção.
Por que pregar se Deus salvará os eleitos de qualquer forma.
Os Calvinistas mais uma vez dizem, que Deus nos manda a pregar o Evangelho para encontrar os eleitos.
Isto é um exemplo da falha da razão humana.
Se a Bíblia explica que devemos ensinar aos homens em todos os lugares e que serão salvos por crerem que Jesus oferece a salvação para um determinado número previamente escolhido, então estaríamos nos tornando em mentirosos!
É mentira dizer a alguém que Deus o salvará , se a Bíblia diz que não podem ser salvo!
E aí entraríamos não só numa mentira propositada, como numa grande contradição.

É bíblico o Arminianismo?

A bíblia afirma que todos os homens são pecadores, sem méritos e salvos pela graça de Deus, sem necessidade de nenhuma obra do homem.
Efésios 2:8-9.
Vrs.8-"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus."
Vrs.9-"Não vem das obras, para que ninguém se glorie;"
Romanos.3:23.
"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;"
Galatas.3:22.
"Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes."
Isaias 53:6.
"Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos."
Romanos. 5:12.
"Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram."
É bem claro o testamento de Deus que o homem é pecador e impossibilitado de salvar-se a si mesmo.
E também dizer que o homem é uma partícula da divindade ou bondade, contradiz o que a Bíblia diz.
Os Arminianos ensinam que o homem tem contribuição em sua salvação, no entanto isto é falta da razão humana não suportada pela Bíblia. Deus diz.
Romanos. 8:7.
"Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser."
A Bíblia ensina quando o homem é salvo ele recebe eterna vida.
Os Arminianos ensinam que se o homem tem em parte a sua salvação, ele no entanto é um resultado natural, mas deve ter boas obras para assim manter a salvação.
De acordo co esse ensino o crente pode deixar de crer e deixar a graça.

A Bíblia manda ao homem crer.

0

As escrituras nos fala que o homem deve crer em Jesus Cristo, para receber a salvação.
Literalmente há centenas de Escrituras que ensinam o homem que deve crer, confiar e ter fé em Deus.
João 3:16
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."
Romanos. 1:16.
"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego."
Romanos.5:1.
"TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;"
Efésios.2:8.
"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus."
I Corintíos.1:21.
"Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação."
O homem tem que crer para receber de Deus o presente da salvação.
Crer é um ato da vontade do homem .
Exercer a sua vontade e crer no que Deus há dito, o homem não tem nada o que contar vantagem ou gabar-se.
O ato da expiação dos pecados foi feito por Jesus, não pelo homem.
Esta oferta de expiação não foi feita porque você merece, ou porque você ganhou, mas porque Ele se dispôs, quis que você tivesse a salvação.
Poderia você conseguir um presente e depois mudar a situação dizendo que você merecia?
É quase certo que não.
A pessoa que oferece o presente é que determina a si mesma a quem da o presente, e não a quem recebe.
O calvinista está certo em dizer que a salvação é um ato de soberania de Deus.
Mas está errado em concluir que recebendo a Cristo , de algum modo é mérito de salvação.
O extremo ponto de vista dos calvinistas está errado quando tira do homem a responsabilidade de receber a Cristo, atestando que Deus decretou alguns para ser salvos e outros para a perdição.
Deus comanda a todo homem a crer e receber a Jesus Cristo.
O homem não pode exercitar sua vontade for a do limite estabelecida por Deus.
E um ato de Sua vontade (de Deus) possibilitou o homem a receber a salvação.
O calvinismo que leva a razão humana ao extremo, não é Bíblico confundindo de "Segurança do Crente" com a doutrina "Salvação Assegurada".

A Bíblia claramente.

Ensina que o homem pode voltar atrás, e deixar que o pecado domine a sua vida.
Mas em:
Hebreus. 11:6-11.
I Corintíos. 11:30.
"Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem."
e.
João 5:16.
"E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado."
Deus lançará o pecador igualmente á morte.
A doutrina Bíblica é de "segurança" não de "perseverança dos santos.
Os Arminianos estão certos que é de responsabilidade do homem receber a Cristo e que o homem deve receber a Cristo por meio da fé.
Mas está errado em dizer que o homem pode crer porque tem uma partícula de divindade em si.
E está grosseiramente errado em concluir que, pelo crer, também tem parte em sua expiação.
Salvação é um total ato de Deus e não do homem.
Quando o homem recebe a Cristo, ele torna uma nova criatura em Cristo Jesus.

EXPLICAÇÃO BÍBLICA.

Muitos evangélicos que aceitam literalmente a interpretação das escrituras, têm encontrado melhor entendimento rejeitando o extremismo do sistema Calvinismo quanto do Arminianismo.
Ambos têm caído na armadilha preparada pelo conhecimento do homem, que tenta explicar e sistematizar a cada ato de Deus.
Deus claramente não disse tudo ao homem a seu respeito, nem tão pouco "porque" de tudo que Ele tem feito.
Mas o que ele tem revelado, devemos crer, confiar, aceitar e viver.
Deus fez a salvação tão simples e clara que mesmo uma pequena criança pode crer e ser salva e ser uma testemunha a outros.
Qual é o valor de gastar o tempo em incontáveis horas calculando sistemas teológicos segunda a imaginação de tudo o que Deus tem feito?
A Bíblia diz; você pode conhecer a árvore pelo fruto.
Isto é bem aplicado aqui.
Qual tem sido o fruto do Calvinismo e do Arminianismo?
Em minha opinião, ambos tem levado a falso ensino.
Uma resposta dos que se apoiam na doutrina de eleição é atacar por julgamento aos que diferem de seus ponto de vista.
Gordon Clark critica aos que diferem dos calvinistas, concluindo que eles não são estudante da Bíblia e não estão interessados em doutrina.
É um julgamento insensato.
Paulo disse em:
II Timóteo. 3:16-17.
Vrs.16-"Toda a Escritura é divinamente inspirada , e proveitosa para ensinar , para redargüir , para corrigir , para instruir em justiça;"
Vrs.17-"Para que o homem de Deus seja perfeito , e perfeitamente instruído para toda a boa obra."
Porque, alguém poderia perguntar, alguns grupos têm tanta fixação em doutrinas de eleição e predestinação?
C. D. Cole, faz duro julgamento aos que não aceitam o calvinismo.
"Ah, o real problema em objectar não é a predestinação, é algo mais:
Seus problemas é a total depravação ou a inabilidade do homem em fazer o bem."

Não tenho orgulho por ser salvo.

Mas temor e respeito pela verdade de que o Senhor Jesus morreu na cruz do calvário pelos meus pecados.
Estou profundamente grato, pois Deus amou tanto este cego pecador!
E eu rejeito totalmente a ideia de que recebi a salvação por meus méritos!
Eu era, como disse o Senhor, um pecador, cedido ao pecado, um filho do pecado, sem sem razão própria.
Foi salvo pelo ato de soberania de nosso amoroso Deus, que veio a terra, se tornou homem e pagou totalmente meus pecados.
Eu não merecia a salvação e estava totalmente entregue a minha natureza pecadora.
Eu, absolutamente não tinha nenhuma partícula de divindade em mim.
Mas Jesus me amou, Ele sofreu por mim enquanto eu ainda estava em meus pecados.
Ele providenciou um meio e uma maneira para a minha salvação.
O homem não pode se orgulhar ou tomar nenhum mérito em parte de sua salvação.
"Pela graça sois salvos, através da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus, não vem das obras para que ninguém se glorie."
Romanos. 4:5.
"Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça."
O homem não possuí nenhum mérito, nem bondade em si para basear a sua salvação.
"Mas Deus prova o seu amor para connosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores."
Romanos. 5:8.
"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores."
Não sou livre para pecar, mas livre de viver no pecado.
Muitos na história tem caído em armadilha por ir além das Escrituras, vão com a razão humana tentar explicar e sistematizar as acções de Deus.
O resultado de tal racionalização é que em muitos casos, caem em extremismos.
É um extremismo afirmar que Deus predestinou alguns homens a serem condenados e não oferecê-los salvação.
E igualmente uma extrema afirmação dizer que o homem ganha a salvação por mérito.
Cada perspectiva que procura violar ensinos Bíblicos, não podem ser verdade.
Em minha posição pessoal, rejeito os extremos tanto dos Calvinistas quanto os Arminius, e não uso nenhum deles para identificar minha posição que é na Bíblia.

O autor junto com o povo, apelam para as Escrituras Sagradas e encontram evidências para rejeitar os extremos tanto dos Calvinistas como os Arminianos.

0

MANTO.

Cobre minha vida o Teu manto,
Erradica todo o caminho incerto,
Como chuva que cai no deserto,
Seja meu viver mais útil e santo.

Quando contemplo Tua formosura,
Como a luz em toda a claridade,
Sinto em mim Sua grande Bondade,
Que vem pra mim como rio de ternura.

As Tuas Palavras Santas e puras,
Mostram moradas e vidas futuras,
Para os corações abertos para Ti.

Senhor,servo Teu eu sempre serei,
Fazendo a vontade de Jesus meu Rei,
Vontade santa que na Palavra eu li.
Por:António Jesus Batalha.

Peregrino E Servo, António Jesus Batalha,
Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto,
Deus,Jesus Cristo,