06/05/2012

Carregando A Cruz.



Carregando A Cruz.
0

O preço.
Vamos pensar um pouco acerca do poder da cruz, na vida de cada um dos remidos.
Sabemos que sem derramamento de sangue não há remissão de pecados, mas como o sangue de animais não tirava os pecados, apenas os cobria.
Por isso era preciso algum melhor.
A pergunta e resposta divina diz :
Isaías 6:8.
"Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia:A quem enviarei, e quem há de ir por nós?...Eis-me aqui envia-me a mim.”
Jesus O Cordeiro de Deus se oferece a si mesmo, sendo o sacrifício vivo.
A Bíblia nos fala de pecados no plural (acção pecaminosa) e também do pecado no singular (pecaminosidade).
É digno de notar que Paulo jamais faz menção do pecado (singular), nos primeiros capítulos de sua carta aos Romanos.
Do capítulo primeiro até ao versículo onze do quinto, fala só dos pecados (plural).
Do versículo 12 do capítulo cinco até ao final dessa carta ele nunca faz menção de pecados no (plural), mas somente de pecado no (singular).
Também é coisa bem significativa que na primeira parte dessa carta, em conexão com pecados, o Apostolo Paulo fala no sangue de Cristo, mas nunca na cruz.
Já ao contrario, na parte final nunca menciona o sangue de Cristo mas somente a Cruz de Cristo ( o sangue de Jesus tem referência com pecados; a Cruz refere-se à pecaminosidade).
O ritual do Dia da Expiação, então, preservou cuidadosamente essa dupla natureza do problema do pecado humano .
Aí, em bela tipificação, vemos no bode sacrificado, Cristo morrendo por nossos pecados; e no bode emissário, vemos Cristo identificando-se com o nosso pecado e pecaminosidade, literalmente carregando tudo para fora.
A teologia de nossos dias enfatiza bem, e correctamente, o primeiro aspecto,-isto é, Cristo morrendo por nossos pecados.

0

Tirando os nossos pecados.
Mas igualmente devemos frisar devidamente o segundo aspecto - Cristo tirando os nossos pecados.
Jamais devemos olvidar o facto de que "Cristo morreu por causa dos nossos pecados.
1ª Coríntios 15:3.
"Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,"
Devemos também ver que Ele, tendo-Se identificado com a humanidade pecadora, sofreu e morreu na cruz do calvário para tirar os nossos pecados.
Na linguagem do Novo Testamento, essa dupla promessa aparece nestes versículos:
João 1:29.
“...Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”
Hebreus 9:26.
“...Mas agora, na consumação dos séculos, uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.”
Ainda podemos ler mais aspectos;
Isaías 1:18.
Em:
 Romanos 4:7.
Este é um quadro de um dos aspectos da nossa salvação - a justiça imputada.
Tudo se apresenta puro debaixo da cobertura da branca neve.
Mas, se Deus apenas perdoasse os pecados e deixasse o pecador com um coração pecaminoso e com uma natureza pecaminosa, seria como que cobri-lo com a neve branca e pura.
Essa não é a maneira completa de Deus tratar com o problema do pecado.
“Ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão brancos como a branca lã”.
O pensamento aqui não é meramente de rectidão imputada mas de rectidão partilhada, o tornar pura e branca cada fibra da nossa natureza decaída poluída e depravada, como a branca lã das ovelhas das montanhas orientais - uma abençoada e maravilhosa oportunidade da graça!
Devemos nos precaver contra a ideia de que Deus esconderá o pecado com um manto de justiça.
Não!
A natureza é escondida, mas não o pecado.

REVEJO-ME.

Na cruz de Cristo me revejo,
Crucificado nela estou,
Pois meu ego ali ficou,
Cravado com meu desejo.

Tenho de Cristo luz imensa,
Vida abundante mais quero.
Longe de mim o desespero,
E a noite solitária e densa.

Na morte estou bem vivo,
Em Cristo O glorificado,
Sou para Deus servo marcado,
Não mais um servo cativo.
Por: António Jesus Batalha.

0

Peregrino E Servo, António Jesus Batalha,
Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto,
Deus,Jesus Cristo,


a verdade em poesia